Portal G1 - 17/12/2019

Parcerias com startups mantêm Embraer com foco no futuro e abrem oportunidades de negócio

Por Embraer

Não há como ignorar a revolução tecnológica que está em curso. Em intervalos cada vez menores, surgem ferramentas inovadoras que transformam mercados inteiros. Empresas com largo histórico, portanto, têm de surfar essa onda de inovação para vislumbrar um futuro em que sigam relevantes.

A Embraer, gigante da aviação brasileira com 50 anos de história, é um exemplo de corporação que lidera processos de inovação. Um dos motivos para esse foco certeiro no futuro da empresa são seus ecossistemas que a aproximam de startups, garantindo a conexão com a evolução tecnológica.

Quatro canais diferentes servem para unir a Embraer a essas novas empresas. No Embraer Startup Program, o contato é com startups já maduras, que podem prover serviços para apoiar as operações da Embraer e desenvolver produtos. O Fundo de Investimento Aeroespacial – criado em 2014 em parceria com a Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e o BNDES – financia inovação focada no fortalecimento da cadeia aeroespacial do Brasil. Como resultado, soluções em inteligência artificial e análise de dados para aperfeiçoar estatísticas de clientes, desenvolvimento de aeronaves autônomas e simuladores de voo, entre outros. No Programa de Aceleração Tecnológica, a atuação é em projetos de pesquisa e desenvolvimento junto a startups de base tecnológica, preferencialmente brasileiras. E há também o Catapult Ventures, fundo de investimento no Vale do Silício (EUA) que coloca a Embraer em contato com o que ainda vem pela frente, como inteligência artificial avançada e economia compartilhada.

Da troca de informações, recursos e tecnologias entre a Embraer e as startups, resultam benefícios para os dois lados. “Para a Embraer, há uma série de vantagens. No Embraer Startup Program, por exemplo, há um ganho cultural de acesso à tecnologia. Qualquer departamento da Embraer pode contratar via Startup Program, e isso causa uma transformação nesses departamentos. Já o Catapult Ventures nos coloca em contato com o que há de mais disruptivo no Vale do Silício. Trabalhamos com startups com tecnologias que vão acontecer daqui a sete, oito anos”, explica Sandro Valeri, head de estratégia de inovação e corporate venturing da Embraer.

Valeri explica que o ganho das startups tem a ver com a obtenção de recursos, mas vai além: “As startups ganham nossa competência tecnológica e empresarial, além da validação dos produtos delas dentro da Embraer ou com nossos clientes. Acaba sendo um banco de provas gigantesco para eles, cheio de oportunidades para testar”.

Da variedade de áreas de atuação das startups, nascem soluções que ajudam a ampliar o leque de produtos e serviços oferecidos pela Embraer. Fabricar aviões deixou de ser a única atividade da empresa. Só do contato com as 50 startups engajadas nos quatro canais de interação com a Embraer surgiram soluções em inteligência artificial e ciência de dados, eletrificação e mobilidade urbana, entre outras tecnologias disruptivas. “Eu diria que não tem como a empresa viver sem isso. O mundo está girando em uma velocidade imensa, milhares de startups sendo criadas, desenvolvendo novas tecnologias. Essa é nossa maneira de ficar conectado em tempo real com essas inovações”, complementa Valeri.

Link da notícia: https://g1.globo.com/especial-publicitario/embraer/noticia/2019/12/17/parcerias-com-startups-mantem-embraer-com-foco-no-futuro-e-abrem-oportunidades-de-negocio.ghtml