Por favor, vire o Tablet.




Riqueza Longevidade Escolaridade
Grupo 1 Alta Média ou alta
Grupo 2 Alta Baixa longevidade ou baixa escolaridade
Grupo 3 Baixa Média ou alta
Grupo 4 Baixa Baixa longevidade ou baixa escolaridade
Grupo 5 Baixa Baixa longevidade ou baixa escolaridade

Setor Químico

Outras regiões administrativas com esse setor

Região de SÃO JOSÉ DOS CAMPOS destacada no mapa de SP

PRESIDENTE PRUDENTE

Região administrativa

PRESIDENTE PRUDENTE

Sobre essa Região
Administrativa (RA)

Além de contar com uma estrutura industrial voltada para a agroindústria, muito ligada à produção de açúcar e biocombustível, a Região Administrativa de Presidente Prudente também se destaca pelas atividades pecuárias, como o abate bovino e seus derivados, situando a região como uma das maiores exportadoras nacional do produto. A presença de aglomerados produtivos nos setores de confecções e vestuários, couro e calçados e móveis são outros destaques da economia local.

O estudo também levantou como é a distribuição de empregos nos setores estratégicos das indústrias na região. Os quatro primeiro lugares juntos somam aproximadamente 76% do total dos postos de trabalho formal. Na ordem está o segmento de alimentos, com quase 40% do total, seguido das empresas de biocombustíveis, com pouco menos de 20%, têxteis, com cerca de 10% e calçadistas com 8%.

Outro dado que merece atenção dos empreendedores é referente às exportações por intensidade tecnológica. Mais de 90% dessas saídas são de origem das indústrias de baixa tecnologia, número quase três vezes maior do que a média estadual.

A RA ainda abrange um polo de desenvolvimento (Biocombustíveis) criado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico para incentivar os setores produtivos da região.

Setores
importantes na RA

Químico, couros e calçados, móveis

SETORES

Análise SWOT

Forças

Indicadores de longevidade e escolaridade do IPRS superiores aos do Estado e da maior parte das demais regiões.

Aglomerados produtivos: confecção e vestuário (Adamantina, Salmourão, Inúbia Paulista, Osvaldo Cruz, Pracinha e Sagres), couros e calçados (Presidente Prudente, Tarabai, Álvares Machado e Indiana) e móveis (Rosana, Caiuá e Osvaldo Cruz).

Açúcar em bruto e refinado, abate de reses, alimentos para animais, massas, laticínios, produtos da carne e biocombustíveis.

Fraquezas

Crescimento populacional abaixo da média estadual.

Perdas migratórias em mais da metade de seus municípios.

A PIA (População em Idade Ativa) apresenta taxa negativa no final da projeção em 2030.

Estrutura industrial concentrada em apenas dois setores, agregando 87,0% da indústria regional.

Presença de área de conflito de terras no Pontal do Paranapanema.

Oportunidades

Investimentos na renovação dos canaviais (novas espécies), agricultura de precisão, informatização e conectividade.

Setor de energia fotovoltaica com potencial de expansão (Dracena); cadeia de produção do couro: calçados e outros artefatos, moveleira e automotiva.

Novo hospital regional do câncer de Presidente Prudente abre espaço de desenvolvimento de serviços complementares.

Etanol 2ª geração, química verde, biorefinarias biodiesel, Renovabio (biodiesel e biogás).

Indústria de transformação: couros e calçados, minerais não metálicos, vestuário e confecções.

Setores dinâmicos pelo faturamento: bebidas, químico, material de transporte, máquinas e equipamentos.

Ameaças

Dependência de exportações de baixa intensidade tecnológica (agroindústria), ficando a região vulnerável em relação aos movimentos de preços e mercados internacionais.

Exportação por intensidade tecnológica - 2016

Fonte: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).
Elaboração Fundação Seade

RA PRESIDENTE PRUDENTE
ESTADO DE SÃO PAULO

Participação nas

exportações do Estado

Total: 1,1%

Fonte: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).
Elaboração Fundação Seade

Indústria de baixa tecnologia
3.1%
Produtos não industriais
0.5%
Indústria de média-alta tecnologia
0.1%
Indústria de alta tecnologia
0.1%
Indústria de média-baixa tecnologia
0%

Escolaridade nos
empregos formais

(período de 2006 - 2016)

Crescimento relevante, de 33,8 % para 50,6 %, nos empregos com níveis de ensino médio completo e superior incompleto

Setores com maior percentual de empregos com ensino médio completo mais superior incompleto

Vestuários e acessórios

Móveis

Your browser does not support SVG