Desenvolve SP - 29/04/2022

Financiamento do Desenvolve SP para projetos sustentáveis cresce 81,7% e atinge R$ 186,2 milhões

Volume destinado à Linha ESG representa 25,3% dos R$ 736,1 milhões desembolsados pelo banco em 2021

O conflito entre Rússia e Ucrânia trouxe impactos ao setor de fertilizantes, especialmente após o governo Putin interromper a exportação do material para o país, um grande consumidor desse produto. O cenário abriu espaço para investimentos em substitutos e o papel de agências de fomento como o Desenvolve SP, pelo acesso rápido do recurso aos projetos, se mostra vital.  Exemplo disso é o da Vital Force, produtora de fertilizante foliar e inseticida biológico com sede em Barretos (SP) que vê na crise atual uma oportunidade para expansão de seus negócios e em uma parceria com o Desenvolve SP o caminho para concretizá-la. A empresa foi uma das beneficiadas pelas linhas de crédito do Desenvolve SP para projetos sustentáveis. Em 2021 a agência de fomento paulista ampliou em 81,7% os desembolsos para a linha ESG. No ano passado foram desembolsados R$ 186,2 milhões para projetos sustentáveis, contra R$ 102,5 milhões em 2020. Os recursos destinados a este fim representam 25,3% dos R$ 736,1 milhões aplicados pelo banco em 2021. No ano anterior, esse percentual foi de 9,4%.

A linha ESG financia projetos que minimizam o impacto da atividade produtiva no meio ambiente, como redução de consumo de energia, troca de combustíveis fósseis por renováveis, ou investimentos em reflorestamento e preservação dos recursos naturais. Para a liberação dos recursos todos os projetos têm que comprovar a adoção de critérios sustentáveis.

A grande maioria dos recursos para projetos sustentáveis foi destinado para a indústria, totalizando R$ 120,4 milhões, equivalente a 64,7% do total. Os desembolsos foram utilizados para a geração de energia, construção de rodovias e ferrovias com a utilização de técnicas sustentáveis e fabricação de materiais para a construção. Para a liberação dos recursos, todos os projetos têm que comprovar a adoção de critérios sustentáveis.

No caso da Vital Force, a empresa recorreu ao banco para financiar R$ 599 mil. Os recursos foram destinados para a compra e instalação de painéis solares, utilizados pela empresa para atender toda a cadeia produtiva. Segundo o diretor financeiro da empresa, Marcelo Cavanha, as condições financeiras oferecidas pelo Desenvolve SP (carência, juros baixos e longos prazos para pagamento), foram decisivas para contrair o empréstimo.

A meta da agência de fomento para este ano é ampliar ainda mais os recursos para projetos sustentáveis. O presidente do Desenvolve SP, Sergio Gusmão Suchodolski, pretende atingir mais de 50% da carteira dentro dos critérios ESG. “Já existem várias linhas de financiamento de energia renovável, eficiência energética e drenagem, que não deixam dúvidas que o Desenvolve SP está comprometido com os três pilares ambiental, social e de governança”.

Para atingir essa meta, o banco trabalha para fortalecer as parcerias com organismos multilaterais e ampliar a captação de recursos destinado a projetos sustentáveis. Neste ano já foram captados US$ 200 milhões (cerca de R$ 1 bilhão) com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e com o New Development Bank (NDB), o Banco dos Brics. Os aportes serão destinados a projetos sustentáveis dos setores público e privado em áreas como água, resíduos sólidos, reciclagem, energia renovável, eficiência energética e infraestrutura urbana.