20/12/2011

A Copa das oportunidades

Os novos negócios incentivados pela Copa de 2014 e pela Olimpíada de 2016 geram interesse tanto da iniciativa privada, quanto das administrações públicas. Em São Paulo, além da Capital, que receberá o jogo de abertura da Copa, o estado conta ainda com outras 36 cidades aptas a abrigarem as seleções de futebol, nos chamados Centros de Treinamentos de Seleções (CTS), e essa lista poderá aumentar ainda mais. Em cada uma delas serão necessárias obras de infraestrutura viária, de mobilidade urbana e de ampliação da rede de serviços públicos, entre outras, que criarão oportunidades de desenvolvimento para os municípios e para o pequeno e médio empresário paulista.
No município de São Paulo, onde está sendo construído o novo estádio que abrigará cinco partidas do mundial, além do jogo de abertura, o Governo do Estado e a prefeitura da cidade estão alocando mais de R$ 470 milhões, apenas no desenvolvimento viário da região. Além dessas obras, o governo estadual está investindo em projetos de infraestrutura, educação, cultura, lazer e segurança, como o Pólo Institucional de Itaquera – vizinho ao estádio e que contará com um Fórum, centro cultural, rodoviária e um batalhão da Policia Militar e dos Bombeiros, entre outros equipamentos públicos.
A Copa também movimentará a economia de muitas cidades do interior do Estado. Além da Capital, São Paulo apresentou ao Comitê Organizador Local da Copa a candidatura de 36 cidades aptas a se tornarem um Centro de Treinamento de Seleções. Os critérios que serão analisados pela FIFA estão relacionados à qualidade das instalações esportivas e hoteleiras, localização, infraestrutura urbana e envolvimento do poder público local e da iniciativa privada com o projeto. A lista ainda é preliminar e as cidades paulistas terão duas novas oportunidades de se inscrever em 2012.
O CTS aprovado pela FIFA poderá receber a delegação de um país participante do torneio, o que trará muitos benefícios para o município. Contudo, serão necessários investimentos na infraestrutura das cidades e na ampliação, capacitação e modernização de suas empresas. A Desenvolve SP, instituição financeira do Governo do Estado, está pronta para financiar esse avanço com taxas de juros mais baixas do que as praticadas no mercado e prazos mais longos.
Uma boa fatia dos estimados R$ 50 bilhões que serão movimentados na economia do país com os Jogos Olímpicos de 2016, segundo o Comitê Olímpico Brasileiro, tem grande chance de vir para as cidades e empresas paulistas, apesar das competições acontecerem na cidade do Rio de Janeiro.
O país pretende levar aos Jogos representantes em todos os esportes olímpicos e paraolímpicos. Há modalidades que já contam com modernos centros de treinamento e infraestrutura suficiente para formar atletas de alto nível. No entanto, outros ainda nem sequer possuem espaços adequados para treinar. Se tornar sede de um esporte olímpico pode ser um grande atrativo de investimentos para o município, que além de organizar competições, por exemplo, incentivará a prática de esportes, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população.
Ainda há tempo para os municípios e para as empresas que desejam aproveitar esse cenário de crescimento se prepararem bem para o momento que o país, e principalmente o Estado, vivenciará. Para isso, a parceria de uma instituição financeira sólida, que possa oferecer condições especiais e apostar no desenvolvimento é fundamental. Em São Paulo, as prefeituras e a iniciativa privada já contam com esse parceiro.

* Milton Luiz de Melo Santos é economista e presidente da Desenvolve SP/Nossa Caixa Desenvolvimento