Site A Cidade On - 11/12/2016

Entenda o que são startups

Conheça histórias de sucesso de quem que decidiu empreender – e todas as dificuldades no caminho também

A palavra startup já faz parte do dia a dia das pessoas. Mas seu significado e aplicação ainda geram dúvidas em muitos empreendedores de Ribeirão.

O termo startup refere-se a uma empresa em fase inicial, que conta com projetos promissores ligados a pesquisa, tecnologia e desenvolvimento de ideias inovadoras, com custo baixo e rápido crescimento.

Por isso, não basta apenas uma boa ideia. Inovar envolve foco, planejamento e dedicação. E para entrar no universo das startups, o primeiro ponto é, acredite, ter um problema. Para, a partir daí, busca-se uma solução inovadora para resolvê-lo.

Esse é o caso dos empreendedores Rodrigo Caldeira e Dante Gavio, da DG Lab; Reginaldo Gotardo, da Educacross; e Monique Salotti, Gustavo Gatto e Daniela Barbosa, da Verdeando.

O diretor financeiro e de negócios da Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP), Álvaro Sedlacek, afirma que, de fato, há um aumento da busca por soluções inovadoras. “Esse é um movimento global, porque há inúmeros desafios que se formam em problemas e para os quais buscamos solução”, frisa.

Segundo ele, inovação é a necessidade de soluções novas para algo que já temos. “É esse conjunto de problemas que ajuda a despertar a necessidade por novas tecnologias”, garante o diretor.

Mas, Sedlacek explica que o que de fato acontece, hoje, é uma troca de conhecimento de forma mais rápida. “Os empreendedores se conhecem em eventos de startups, compartilham conhecimentos e experiências, ampliam os horizontes e os caminhos que querem explorar”, comenta.

Assim, saem da universidade já pensando em criar o próprio negócio. “E as startups nascem dessa troca intensa de informações e conhecimentos.”

Se pensa em entrar para o ecossistema das startups, saiba os caminhos que deve seguir até chegar ao mercado de trabalho:

Ter um problema
Rodrigo Caldeira explica que, normalmente, o empreendedor tem a ideia a partir da solução. “Mas, um produto só existe para resolver um problema”, diz. “Por isso, ele deve pensar e se ater aos problemas para depois estruturar-se a fim de encontrar uma solução inovadora”, reforça.

Equipe multidisciplinar
Segundo Dante Gavio, a interação entre diferentes perfis de atuação dentro da mesma startup é muito enriquecedora. “Ao trabalhar em conjunto, um alimenta o outro dentro de suas competências”, afirma. “Assim como o ambiente da incubadora também é muito importante por essa diversidade”, completa.

É preciso dedicação
Para fazer o projeto chegar a ser incubado precisa ter vontade e dedicação, além de pensar se será aceito pelo mercado. “Muitas vezes, perdemos tempo no processo de experimentar, de validar a tecnologia, sem antes saber se tem alguém que a quer”, frisa Caldeira. “Não é só uma boa ideia que faz o negócio acontecer. É o problema, que realmente existe, com a solução que vai atendê-lo de forma diferente e inovadora”, reforça.

Necessidade do cliente
“Para qualquer ideia de produto, para colocar isso em prática, é fundamental olhar para a necessidade do cliente que pretende atender. Precisa validar essa ideia no mercado para depois acelerá-la”, orienta Gotardo.

Muito trabalho
“Falo que, para uma startup dar certo, é preciso 99% de transpiração. É muito trabalho, foco, disciplina e dedicação. É estar 24 horas ligado no projeto”, afirma Gotardo.

Escolha do investidor
Se a ideia já está validada no mercado, é hora de abrir espaço para os investidores. Mas, antes de receber qualquer tipo de aporte, estude bem com quem irá se associar. “Essa relação deve ser um casamento perfeito. É preciso escolher estrategicamente seu parceiro”, orienta Gotardo.

Eventos de inovação
Para validar uma ideia ou projeto, os fundadores da Verdeando indicam participar de eventos de inovação. “Começar a se envolver nesse meio de empreendedorismo, ouvir o que as pessoas têm a falar, pois tem muita coisa enriquecedora”, afirma Daniela.

Compartilhe
Conheça pessoas, troque ideias e compartilhe conhecimento. “Essa dica é essencial: compartilhar e não ter medo de contar suas ideias, pois é preciso ouvir a opinião dos outros sobre o produto que pretende oferecer ao mercado”, reforça. 

Olhar para o outro
Uma dica importante é parar de olhar para si e olhar para os outros. “Isso significa: parar de olhar para a ideia e, sim, para o problema que pretende resolver”, explica Monique. 

Fonte: https://www.acidadeon.com/ribeiraopreto/economia/NOT,2,2,1214239,Startups+surgem+como+nova+oportunidade+de+negocios.aspx